ABEFIN

NOSSO BLOG

Saque do FGTS: vale a pena sacar os R$ 1.000?

Por Tales Ramos / Site: Portal Exame

No final do mês passado, o governo anunciou que irá liberar um saque no valor de até R$1.000 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os saques poderão ser feitos a partir do dia 20 de abril e seguirão um calendário de divulgação. Cerca de 40 milhões de pessoas poderão ser beneficiadas.

A medida visa aliviar os problemas com dívidas das famílias brasileiras. O número de endividados no Brasil chegou a 12,5 milhões de pessoas em fevereiro deste ano, o que representa 76,6% das famílias do país. É o que aponta a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) divulgada pela Confederação Nacional do Comércio.  

Pagar as dívidas

Para saber qual é a melhor maneira de utilizar o dinheiro, EXAME Invest entrevistou especialistas em planejamento financeiro. Com o principal objetivo do dinheiro é aliviar a situação das famílias endividadas no país, a recomendação é que o valor sacado seja utilizado para pagamento de dívidas.

Para Regina Prataviera, planejadora financeira CFP pela Associação Brasileira de Planejamento Financeiro – Planejar, pagar as dívidas deve ser prioridade para aqueles que realizam o saque. Pagar a dívida mesmo que parcialmente, pode ser uma opção para diminuir os valores que são acumulados em juros pela inadimplência. Ela explica que é importante priorizar quitar as dívidas de maiores taxas de juros, como cartão de crédito, cheque especial e outros créditos pessoais. “Juros a gente ganha, não paga.” 

Prataviera acrescenta que é importante avaliar se a taxa de juros está abaixo da taxa de algum possível investimento, pois se estiver, é mais recomendado que este dinheiro seja aplicado e que funcione como fonte extra de renda para facilitar o pagamento da dívida no médio prazo.

Posição inclusive que é defendida por Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Profissionais da Educação Financeira (Abefin). Para ele, o dinheiro precisa ser usado como investimento, se o valor não for suficiente para o pagamento das dívidas por completo. De acordo com Domingos, o pagamento parcial da dívida não resolve o problema, enquanto o dinheiro aplicado e o rendimento no médio prazo, pode ajudar o consumidor ter uma renda extra mais constante.

Investir o Dinheiro

Mas mesmo para as pessoas sem dívidas ativas, a recomendação de ambos os especialistas é que seja feito o saque destes R$1.000, visando rentabilizar mais deste dinheiro.

O FGTS, em 2022, rende 3% mais a aplicação mensal da taxa referencial (TR), e comparado com outros investimentos em que pode ser alocado, manter o dinheiro no fundo de garantia pode significar a perda de uma oportunidade de potencializar a geração de renda. Enquanto Prataviera recomenda o investimento em CDBs, LCIs e LCAs para aproveitar das altas taxas de juros atuais, Domingos recomenda o investimento em tesouro SELIC ou outras alternativas pós-fixadas que superarem o rendimento anterior.

Domingos ainda reforça a importância da alocação deste dinheiro para investimentos, pois ao ficar parado na conta corrente, além de perder os rendimentos, ele também perde a proteção de penhora que o FGTS dá a esse valor. Então, até para os que não são investidores, este é um ótimo momento para que qualquer pessoa comece a estudar sobre o assunto e crie uma reserva de emergência em fundos de investimento de renda fixa.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Posts Recentes: