ABEFIN

NOSSO BLOG

Casa própria: Confira 8 dicas de um educador financeiro para sair do aluguel

Por:  Zeca Ferreira / Site: Money Times

Apesar do cenário econômico desafiador, o sonho da casa própria segue forte no país. Segundo o censo da moradia, realizado pelo Datafolha, oito em cada dez brasileiros desejam ter uma moradia quitada em seu nome.

No entanto, realizar o desejo não é simples, sendo necessário avaliar diversos fatores, como a situação financeira atual e definir o valor que poderá ser investido mensalmente, além da forma como a residência será adquirida.

“A principal orientação é reduzir gastos e poupar um valor predeterminado todos os meses. Em alguns anos, conseguirá comprar a casa à vista e não pagar juros”, conta Reinaldo Domingos, presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros).

Domingos explica que “é preciso entender que, com o dinheiro aplicado, os juros trabalham a seu favor, enquanto no financiamento se paga juros”

Porém, pagar o imóvel à vista é uma realidade distante para a maioria das pessoas, que acabam recorrendo ao financiamento imobiliário.

“É fundamental ter em mente que, escolhendo o financiamento, se estará contraindo uma dívida de valor, que deverá ser honrada todo mês. Além disso, é importante saber que existem os juros que, somados ao longo do contrato, podem significar o pagamento de até duas ou três casas”, diz.

Para o educador financeiro, uma alternativa para quem não tem urgência em mudar e tem disponibilidade de uma verba de investimento mensal é o consórcio.

Neste caso, se pagará menos e, se tiver sorte, poderá ser sorteado e ganhar a casa rapidamente, além de também poder economizar para dar um lance.

Confira as oito dicas de Reinaldo Domingos para comprar a casa própria:

  1. Reúna a família e converse sobre este tema, definindo lugar, valor e as reais condições que se encontram;
  2. Um ponto a ser levado em consideração é o custo de vida da região em que irá mudar, que pode ser mais alto que o atual. Também considere os gastos com transporte;
  3. Analise o valor do aluguel que está pagando e, se for o mesmo valor da prestação de um financiamento, poderá ser uma opção financiar o imóvel;
  4. O melhor caminho é poupar parte do que ganha. Portanto, faça uma simulação em qualquer banco de quanto custaria a prestação deste imóvel e comece a guardar em um investimento conservador, como poupança, CDB ou tesouro direto;
  5. Lembre-se de que o financiamento de um imóvel é considerado dívida de valor; por isso deve ser protegida e garantida uma prioridade frente às demais despesas mensais;
  6. Tenha sempre uma reserva estratégica, para que em uma eventualidade não deixe de honrar este importante compromisso;
  7. Caso não esteja conseguindo pagar a prestação da casa própria, é preciso rever imediatamente os gastos, em especial as pequenas despesas, que, somadas, podem levar uma família ao desequilíbrio financeiro;
  8. Nunca se esqueça que um novo imóvel demanda novos custos, como mobiliário novo, condomínio, taxas de transferência etc.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Posts Recentes: