inss

Reavalie seus hábitos e realiza sonhos

A realidade é que as pessoas parecem não se dar conta de que merecem muito mais do que pensam. Estou falando de coisas maiores e mais importantes, que costumamos chamar de sonhos. Sem dar muito crédito aos seus verdadeiros sonhos, as pessoas levam a vida à toa, sem ter um propósito, um objetivo, achando que a felicidade se resume a um sapato novo ou a um aparelho de celular de última geração.

Elas se mantêm presas a um falso conceito de felicidade que as transforma em escravas de um sistema perverso: ficam rodeadas de produtos de consumo em troca de todo o dinheiro que ganham mensalmente, o que acaba fazendo com que tenham de trabalhar mais um mês inteiro, a fim de bancar cada vez mais esses pequenos prazeres imediatistas.

Nesse círculo vicioso, os anos correm, o tempo vai passando e essas pessoas continuam com os mesmos sonhos, que parecem nunca se realizar, pois elas não fazem nada de concreto para que isso aconteça. O consumo diário de produtos supérfluos acaba sugando toda a renda, o que limita o planejamento de algo maior, como uma grande viagem para o exterior, a aquisição da casa própria ou a possibilidade de cursar uma faculdade particular.

Esses planos mais ambiciosos são exemplos de sonhos comuns a muita gente. Para que eles se efetivem algum dia, é preciso que haja muita determinação e esforço por parte de cada pessoa no processo de construção gradativa dessas conquistas. Caso contrário, os sonhos vão se tornando cada vez mais distantes até que, no fim da vida, as pessoas acabam se dando conta de que viveram por muito tempo hipnotizadas por tapetes, almofadas, casacos, sandálias, cafeteiras, lustres, malas, poltronas, mesinhas de centro, TVs de 50 polegadas, etc.

Em alguns casos, essa conscientização chega tarde demais e já não há muito o que fazer. Ao despertar do sono profundo do automatismo consumista, várias pessoas se veem numa situação financeira delicada, agravada pelo avançar da idade, em que as barreiras a serem ultrapassadas para a conquista de seus sonhos se tornam quase que intransponíveis.

Para gastar menos e economizar

Veja algumas ações simples para controlar as finanças nesse fim de ano fazendo com que não ocorra o endividamento, o que já irá proporcionar um grande problema para 2021:

Evitar compras por impulso: os consumidores devem se fazer algumas perguntas antes de comprar: estou comprando por necessidade real ou movido por outro sentimento, como carência ou baixa autoestima? Se não comprar isso hoje, o que acontecerá? Tenho dinheiro para comprar à vista? Se comprar a prazo, terei o valor das parcelas? O acúmulo de parcelas coloca em risco a realização dos sonhos que foram priorizados com a família?

Para economizar e poupar sempre

Pesquisar preço e comprar à vista: Pode parecer difícil, mas se planejando dá para comprar à vista o que se objetiva. Lembrando que prestações também são formas de endividamentos, já que comprometerá recursos futuros. Além disto, quem pesquisa o melhor preço paga menos e aumenta a chance de comprar à vista e obter desconto.

Pedir desconto: Um grande problema do brasileiro é a vergonha na hora de negociar, assim, deixe esse receio de lado, não há erro nenhum em buscar o melhor preço. Se um produto custa mil reais e pode ser parcelado em 10 vezes de 100 reais, certamente à vista custará de 10% a 20% menos.

Reter 10% dos rendimentos: para começar a construir a independência financeira, deve-se guardar 10% do que ganha. Com o tempo, pode-se partir para um plano de previdência privada para complementar o INSS.

Para ficar livre das dívidas:

Qualquer que seja a dívida, o consumidor deve investigar o que está levando ele a gastar mais do que ganha, somando dívidas que não consegue pagar e que roubam recursos que deveriam ser destinados para a realização de sonhos. Fazer acordos para pagamentos de dívidas sem antes saber qual é a real capacidade de pagamento, sem cortar excessos, sem ajustar o orçamento ao verdadeiro padrão de vida é um grande risco, além de uma medida paliativa que apenas adia a solução da causa do problema.

Reinaldo Domingos está a frente do canal Dinheiro à VistaÉ PhD em Educação Financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin – http://www.abefin.org.br) e da DSOP Educação Financeira (http://www.dsop.com.br). Autor de diversos livros sobre o tema, como o best-seller Terapia Financeira.

Posted in Artigos, Autor, Notícias - Abefin - Associação Brasileira de Educadores Financeiros, Reinaldo domingos, Releases.

Thayna Palmas