reajuste da mensalidade escolar

Reajuste da mensalidade escolar: como ajustar o orçamento?

No período de rematrícula, diversas escolas optam pelo reajuste da mensalidade escolar. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, é importante que a família organize o orçamento, priorizando a educação dos filhos.

“Todos os custos que envolvem a educação não devem ser considerados despesas, e sim investimentos. Mesmo que altos, devem ser priorizados no orçamento. A família pode diminuir ou cortar outras despesas, menos importantes e muitas vezes supérfluas, para garantir a continuidade dos estudos de qualidade”, orienta Domingos.

Esse é um tema delicado, pois, na verdade, é um investimento no futuro dos filhos, portanto, não pode ser tratado de qualquer maneira, “do jeito que der”. É necessário se programar, fazer as contas com antecedência e cortar gastos, se for necessário. Tudo para garantir um estudo de qualidade às crianças.

Veja cinco pontos a serem analisados e priorizados neste momento:

 

1- Situação financeira da família

É importante que a família faça um diagnóstico financeiro para saber em qual situação se encontram. Se for de endividamento ou inadimplência, é hora de rever todos os gastos para priorizar a continuidade dos filhos na escola.

É preciso também traçar um planejamento financeiro para 2018, considerando o valor reajustado da matrícula.

 

2- Desejo da criança

É importante sentar e conversar com as crianças e jovens para saber se gostam da escola atual e querem continuar. Muitas vezes, a mudança indesejada pode comprometer até mesmo o rendimento escolar, já que teriam que se readaptar a um novo ambiente e novas pessoas.

 

3- Gastos adicionais

Nesse processo de planejamento para 2018, é importante considerar despesas intrínsecas à rotina escolar, como uniforme, lanche, material, eventuais passeios, transporte, etc. Com esforço e educação financeira, é possível garantir um estudo de qualidade para a nova geração, que formará uma sociedade muito mais consciente e sustentável do que a nossa.

 

4- Negociação com a escola

Se preciso, é recomendável marcar uma reunião com o diretor, explicando a situação e ajustando o que pode ser feito para viabilizar a permanência. Muitas vezes, perdemos oportunidades por falta de tentar.

Pode ser que consiga uma bolsa, um desconto, mesmo que temporário, uma isenção da matrícula ou mesmo uma condição especial para pagar as mensalidades. Enfim, é preciso tentar.

 

5- Diferenciais no ensino

Considere os diferenciais que a escola oferece para a educação de seus filhos, como por exemplo a educação financeira em sala de aula. Este tem sido considerado o melhor caminho para que esta nova geração tenha um comportamento sustentável em relação às finanças, sendo menos endividada e inadimplente.

Posted in Notícias - Abefin - Associação Brasileira de Educadores Financeiros, noticias-abefin, Releases and tagged , , .
Abefin

Abefin

Abefin - Associação Brasileira dos Educadores Financeiros
contato@abefin.org.br / (11) 3660-5400
Acesse todos artigos da Abefin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *