Casal dinehrio

O MAIOR ERRO DO CASAL É DIVIDIR AS CONTAS MEIO A MEIO

O MAIOR ERRO DO CASAL É DIVIDIR AS CONTAS MEIO A MEIO

 

Quando se decide viver uma vida a dois, há muitas descobertas, como as manias, costumes,  gastos… Tem casal que acha que como são independentes não precisam “dar satisfações” ao outro sobre o que faz com o dinheiro. E aí é como se fossem dois solteiros morando juntos. Outros decidem dividir todas as despesas meio a meio. Foi o que eu fiz. Minha esposa e eu estabelecemos os valores que deveríamos gastar, e eu fiquei  responsável por cuidar do orçamento. Não tinha como dar errado, já que é assim que os livros de educação financeira ensinam.

Em pouco tempo o conflito estava armado. Eu falava que havia várias despesas para pagar, e ela respondia que não entendia o que estava acontecendo, porque não via onde o dinheiro dela estava sendo usado. Por mais que eu tentasse fazer reuniões, explicar, falar e falar,  não adiantava. A situação foi ficando insustentável. Até que  resolvi propor algo diferente.

Sentei com ela, começamos a decidir quais as despesas  cada um poderia pagar. Por exemplo, supermercado para ela, aluguel para mim, de forma que a divisão ficou proporcional ao salário de cada um, e não meio a meio. Aproveitamos para sonhar juntos. Começamos a definir quanto que cada um iria contribuir com: viagens, reservas e aposentadoria.

Interessante que após essa divisão nunca mais tivemos problemas, ela paga as despesas que concordou em honrar e  contribui com nossos sonhos compartilhados, e ainda sobra dinheiro para comprar roupas e sapatos.

Aprendizado: o perigo do orçamento único do casal é porque um centraliza as informações, tira a oportunidade do outro entender as finanças, de acertar e errar. Quem ganha mais, paga mais, evitando assim sentimentos de injustiça. Mas preste atenção, esse sistema só  funciona se os sonhos do casal forem compartilhados, onde os dois contribuem. Conforme os sonhos vão se concretizando  o casal se fortalece e fica ainda mais animado para sonhos maiores porque sabem que podem contar com o outro. Lembre-se sempre,  quem pensa enriquece.

 

Por Marcelo Rubles,Vice-Presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros.

Posted in Artigos, Autor.
Leonardo Rea

Leonardo Rea

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *